Grandes erros da publicidade.

Ainda que alguns publicitários pensem o contrário, eles são humanos. E como humanos, cometem erros. Quem nunca? Porém quando estes erros são cometidos em ações de grandes marcas, eles repercutem muito, pois são vistos (e ridicularizados) por muitas pessoas, principalmente em tempos de redes sociais.

Conheça aqui algumas das gafes mais famosas e recentes no mundo da publicidade e quais foram as premissas que não foram observadas por estes profissionais. Erros de terceiros costumam ser muito úteis, pois muitas vezes nos impedem de cometer o mesmo erro em outras circunstâncias.

A Coca-Cola, quem diria, cometeu um erro grotesco em uma campanha publicitária feita para a Ucrânia. A marca colocou em seu anúncio um mapa da Rússia, mas não incluiu a região da Crimeia, que pertencia em tese à Ucrânia, mas era território disputado entre os dois países. Após reclamações dos russos nas redes sociais, a marca alterou a imagem e incluiu a Crimeia como território mas… pisou feio na bola, pois a colocou como território russo. Os ucranianos ficaram muito, mas muito chateados, achando isso um desrespeito à sua soberania e à sua luta nacionalista contra o governo Russo. Erro grosseiro, não se informar sobre o contexto do país no qual quer vender um produto.

A Adidas também fez feio na Copa América de 2016. A marca patrocinou a seleção da Colômbia e, para promover a camisa especial da seleção para o torneio (branca e azul, em vez do tradicional amarelo), divulgou imagens do astro James Rodriguez e de outros jogadores com o nome da seleção escrito… errado. Em vez de escrever “Colômbia”, os americanos “traduziram” para a forma como eles falam e escreveram “Columbia” nas imagens publicitárias. Sabemos que “Columbia” é o nome de algumas cidades dos EUA e também o nome de uma famosa universidade americana, mas de forma alguma é o nome de um país. Aí não dá, né? Erraram o nome do cliente! A campanha tem que falar o idioma do país no qual ela está atuando.

A Heinz tentou descontrair na hora de vender seu feijão enlatado no Reino Unido. Criaram uma música para suas latas de feijão e sugeriram que o consumidor cante e batuque na lata. Chegaram a fazer um vídeo tutorial para ensinar como batucar e encorajar a brincadeira. Pois é, não deu muito certo. A lata não era própria para batucada e aconteceram alguns acidentes. A campanha acabou proibida porque a lata poderia ser “perigosa”: a borda de metal poderia causar acidentes ao receber as batidas. Erro básico, desconhecer a embalagem do seu produto!

O chocolate Toblerone também pisou na bola. Poucos anos atrás ele reduziu seu tamanho e modificou seu formato, o que gerou uma quantidade menor de chocolate, mas o manteve na mesma embalagem, ou seja, criou uma expectativa falsa no consumidor. Quando as pessoas começaram a perceber que vinha muito menos chocolate dentro da mesma caixa, foi uma enxurrada de reclamações, Memes e piadas em redes sociais. A repercussão foi tanta que foi um dos assuntos mais comentado do ano em redes sociais, perdendo apenas para a eleição de Trump. O erro da marca entrou nos Trending Topics mundiais, os assuntos mais comentados do mundo. Faltou transparência e honestidade com seu consumidor, feio, muito feio.

Não foram os primeiros erros e certamente não serão os últimos. Somos todos humanos, portanto, falíveis. O lado bom é que certamente todos nós podemos tirar algum aprendizado destas gafes lamentáveis.

erros, publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *